fbpx
Animais MarinhosRecentesTop Artigos

8 fatos divertidos e dentuços sobre a morsa do Atlântico

As morsas do Atlântico são animais muito fofinhos que moram nas regiões árticas e subárticas do planeta. Geralmente, existem três espécies delas, e você pode encontrar a morsa do Atlântico principalmente na Groenlândia e em Svalbard durante a temporada de cruzeiros no Ártico.

Essas espécies grandes com nadadeiras enormes, presas imensas e bigodes longos são felizes e brincalhonas. Mas o que mais você deve saber sobre elas? Bem, há muitas coisas para ser mais exato!

Vamos lhe ajudar a descobrir os fatos mais incríveis sobre as morsas do Atlântico para que você interaja com elas sem demora!

1 – As morsas podem mudar de cor

Normalmente, as morsas são de uma cor marrom-canela, mas quando estão quentes, essa cor pode mudar para branco ou rosa dependendo da temperatura. Não, as morsas não são criaturas mágicas.

Eles possuem a capacidade de regular o mecanismo de temperatura. Isso também ocorre para ajudá-las a variar seu suprimento de sangue para a circunferência de seus corpos, às vezes. Imagina como pode ser interessante ver isso acontecer diante dos nossos olhos, né?

Foto:Divulgação National Geographic

2 – Suas presas continuam crescendo

Tanto os machos quanto as fêmeas têm presas enormes. No entanto, as morsas do Pacífico têm presas mais proeminentes do que as do Atlântico. O macho geralmente tem presas mais salientes do que a fêmea e isso os ajuda a distinguir entre idade, gênero e posição social também.

Elas usam suas presas para quebrar o gelo, sair da água quando precisam e também podem usar suas presas para se defender e lutar durante a época de reprodução.

3 – Sua dieta é assustadora

As morsas são carnívoras e sua dieta provavelmente não vai te deixar com água na boca. Esses animais gostam de caçar minhocas, moluscos, gastrópodes, pepinos-do-mar, cefalópodes e muito mais.

Uma vez que outra, elas também podem se deliciar com peixes e caçar focas-barbudas. Muitas delas também adoram comer invertebrados bentônicos e crustáceos, porém, um dos seus alimentos favoritos são as amêijoas. Sendo assim, a comida que comem também depende de onde elas estão.

4 – Elas podem comer de 3.000 a 6.000 amêijoas

Você sabia que as morsas podem comer de 3.000 a 6.000 amêijoas por dia? Sim, é esse tanto assim que elas podem comer se conseguirem sua comidinha favorita. Ah, e como podemos esquecer que elas também comem, diariamente, de 3% a 6% de seu peso corporal total? Que apetite, hein!

5 – Elas procriam no gelo

Quando a fêmea fica grávida, ela deixa o bando por algum tempo para permanecer no bloco de gelo e dar à luz ao filhote. Depois que a morsa bebê nasce, ela jejua por alguns dias em maio.

Este é o momento em que dependem da gordura corporal para obter energia. Mais tarde, quando a mãe e o filhote retornam ao bando, a fêmea começa a se alimentar novamente. Durante esse tempo e assim por diante, a morsa filhote começa a beber o leite desnatado de sua mãe.

6 – Usam seus bigodes para se alimentar

Os bigodes da morsa estão ligados aos músculos e recebem sangue junto com os nervos e, é por isso que são sensíveis. Assim, ao procurar suas presas, os bigodes as ajudam a caçar com mais precisão e localizar seu alimento.

Então, elas usam seu nariz para rastrear o fundo do mar e esguichar água de suas narinas para atiçar sua presa. Assim, seus bigodes podem ser muito úteis para elas, especialmente quando estão cheias de fome.

7 – As morsas podem se mover tão rápido quanto os humanos correndo

Se passou pela sua cabeça que esses animais fofos se moveriam como as tartarugas, você se enganou. Surpreendentemente, elas podem se mover rápido em terra, tão rápido que podem ser tão boas quanto os seres humanos correndo. No entanto, as morsas podem nadar 7 km por hora debaixo d’água, mas podem acelerar até 35 km por hora quando necessário.

8 – O bando geralmente é separado por gênero

Entre todas as outras características exclusivas das morsas do Atlântico, você irá se surpreender ao saber que elas são separadas por gênero. Sim, as morsas podem se separar de seu bando de acordo com o sexo pois as fêmeas às vezes podem procriar no gelo.

No entanto, elas são boas em socializar e podem se reunir à centenas delas durante o banho de sol. É apenas durante a época de acasalamento que elas hesitam um pouco em se misturar, pois é aí quando os machos se tornam um pouco dominantes sobre um harém de morsas fêmeas.

Concluindo

A morsa animal, também conhecido como odobenus rosmarus, é uma criatura única, robusta e intrigante que pode viver de 20 a 30 anos, e em muitos casos, até 40 anos. No entanto, devido às mudanças climáticas, tanto o tempo de vida quanto o habitat desses animais estão em risco.

Existem duas subespécies principais de morsas: o odobenus rosmarus divergens, ou morsa do pacífico, e o odobenus rosmarus rosmarus, conhecido como morsa do Atlântico. Infelizmente, ambas as subespécies estão agora em perigo de extinção, o que é uma grande preocupação global.

Esperamos que medidas sejam tomadas para combater esse problema o mais rápido possível. Proteger o morsa animal – ou morca animal, como também é conhecido – é essencial para preservar a biodiversidade do nosso planeta.